4 de fevereiro de 2014

Mansão Dorf (A Mansão Dorf - Cap. 1)

Diversos contos de fantasmas e assombrações rondam a mansão dos Dorfs, construída há mais de 250 anos, quando a cidade de Canavial, no Mato Grosso do Sul, ainda era apenas um grande campo, histórias essas contadas por jovens, crianças e até adultos, mas apenas os idosos realmente sabem o que aconteceu há 85 anos.
A mansão foi alvo de uma quadrilha de bandidos que entraram, mataram todos e limparam tudo de valioso que havia na casa, pois era uma família muito rica.
Um parente distante, morava em outro país, também de muitas posses, não se preocupou com heranças e nem ao menos com a limpeza da mansão, apenas assinou os papéis, pagou o funeral e nem esperou o enterro, partiu de volta à sua vida.
A mansão ficou do jeito que estava, com sangue por toda parte, vidros quebrados e um cheiro muito forte que foi amenizado pelo tempo, as aranhas e ratos dominaram todos os cantos da casa.
85 anos depois, um inocente garoto de 12 anos quis provar sua coragem para o inconsequente irmão de 15 anos que apostou que o garoto fosse até a mansão e trouxesse algo como prova de que ele subiu até o quarto do casal Dorf, um pedaço de um famoso espelho cheio de gravuras e desenhos à caneta, para isso ele teria que quebra-lo.
Esse ponto é que inicia a nossa história, a história de um mal muito maior que qualquer outro conhecido, um mal que foi despertado e liberado de sua prisão de mais de 250 anos.
Durante sua caminhada na mansão o menino Frank estava muito assustado e sua mente pregava peças, imagens, sons e sensações, mas será que era sua mente? Talvez fosse.
O chão da sala estava com muitas marcas, locais onde formaram poças de sangue do Senhor Dorf. Frank avistou as escadas e então subiu, cada degrau era uma força para voltar, mas ele foi firme, infelizmente. Chegando ao corredor principal via várias marcas de mãos nas paredes e uma grande mancha onde provavelmente o corpo da Senhora Dorf foi arrastado enquanto ela agonizava depois de ter sido estuprada pelos bandidos no corredor.
O garoto já estava com muito medo, entrou no quarto, ignorou um calafrio que lhe subiu a espinha, pegou um enfeite do criado, olhou diretamente para o espelho de um grande banheiro e ao ameaçar quebrar o espelho ele ouviu um sussurro dizendo para ele não fazer isso, ele acreditou ser seu medo e o ignorou, bateu no espelho uma vez e ele trincou, nesse momento uma imagem apareceu no fundo banheiro, como um conjunto de trapos amontoados no chão, Frank olhou para trás e não havia nada, ao olhar novamente para o espelho não havia mais nenhuma imagem refletida, estava branco por inteiro e logo o pedaço trincado caiu nos seus pés, ele pegou-o e saiu correndo, quando tropeçou na escada e rolou até a sala de estar.
Passada 1 hora o irmão de Frank, Michael, resolve que é hora de se preocupar, mas o medo não deixou ele ir sozinho, ficou sem saber o que fazer e foi contar ao seu pai Jonas, que desesperado foi correndo para lá, invadiu a mansão e encontrou o garoto desacordado no chão da sala, chamou socorro e o menino foi levado para um hospital, mas infelizmente ele já havia feito o que não devia.
Na mesma semana os moradores tentaram contato com os parentes dos Dorf para tomar providencias quanto à mansão, não estava certo ter aquela mansão ali, não ser vendida, não ser nem sequer limpa, ela era usada como abrigo para usuários de drogas e prostitutas.
Na semana seguinte vários usuários de drogas começam a contar histórias de terror sobre a mansão, mas ninguém acreditava vindo de quem contava, alguns diz que viam vultos, um rapaz jura ter visto um homem com garras e até ouviu o som delas se batendo, até o dia em que coisas graves começaram a ocorrer.
Frank já havia saído do hospital e estava em casa quando ouviu sirenes e muita movimentação, então foi para fora ver o que havia acontecido e viu os policiais retirando um corpo da mansão, ele parecia estar totalmente esquartejado, foi retirado aos pedaços dentro de um saco preto.
As investigações e testemunhos indicam que ele estava sozinho no momento que isso ocorreu, era um viciado, justamente o que havia falado sobre o homem com garras.
Esses fatos se repetiram por mais duas vezes, uma prostitua que teve seus seios rasgados por facadas e outro drogado que morreu envenenado e então a polícia resolveu intervir e fazer rondas na mansão durante a noite, mas não demorou muito para que um policial fosse atraído por uma linda mulher que estava usando roupas rasgadas, como trapos, ela aparentava estar toda molhada, com seus cabelos escorridos pelos ombros, preocupado de ser alguém precisando de ajuda o oficial correu para dentro da mansão, em questão de meia hora seu parceiro o encontrou afogado, sem nenhuma água por perto, foi estranho e dessa vez ele sabia que não havia ninguém na casa.
Os moradores revoltados e preocupados resolvem tomar providencias e contratam uma empresa para demolir a casa, sem nenhuma autorização oficial, apenas contando com a força da voz de todos, ficou agendado para a semana seguinte, eles teriam que aguentar por mais alguns dias.
Ninguém mais entrava na mansão, todos estavam com muito medo, preocupados e até a polícia instruiu a população a não passarem por perto da mansão até descobrirem quem a estava usando para cometer os crimes.
Frank, no dia da demolição, teve um impulso de ir correndo para a mansão, pulou pela janela e foi até lá, ele não sentia medo algum e também não sabia da demolição, subiu no quarto do casal e a demolição começou.
Após a primeira batida do guindaste de demolição o menino se assustou e tentou correr, mas foi surpreendido por escombros que fecharam a porta, desesperado com as várias batidas Frank começou a gritar por socorro, mas o barulho da máquina era tão alto que ninguém ouvia até que o inevitável aconteceu e o menino foi soterrado e morreu, morreu sem saber como tinha parado ali, ele não se lembrava de nada.
O pai de Frank notou a ausência do menino e perguntou ao outro filho e à esposa, mas ninguém sabia dele, preocupados rondaram toda a vizinhança, sem notícias e já passadas 12 horas eles foram à polícia, suspeitaram que o menino poderia ter entrado na mansão no momento da demolição, mas rezavam para estar errados.
A polícia pediu para a família aguardar o dia seguinte, as vezes o menino só saiu sem falar nada e foi para a casa de algum amigo, procedimento padrão, além do mais, no dia seguinte os escombros seriam removidos e se o menino estivesse no meio, seria encontrado.
No dia seguinte os escombros foram removidos e o corpo de Frank foi encontrado inconsciente, com vários machucados e a expectativa dos médicos não era boa, o menino foi internado, em estado de coma profundo, seus familiares estavam desesperados e seu irmão muito arrependido. Todos os escombros da mansão foram levados embora, deixando um grande terreno vazio, mas ninguém se aproximava dele, era um local que todos chamaram de amaldiçoado, mas não sabiam que a maldição ainda nem tinha começado.
Após três dias que Frank estava em coma, seu pai teve um sonho, um sonho lindo em que Frank andava e brincava em um campo aberto e todo gramado, quando simplesmente surge um homem, na verdade a sombra de um homem, toca-lhe a mão e diz:
- Quer seu filho aqui de volta? Eu posso lhe conceder esse desejo, mas fique avisado, esse seu filho que vê em sonhos não existira mais, sua alma foi tocada por tudo que há de ruim, ele terá pesadelos, surtos e medos que antes não tinha. Basta dizer sim e você será acordado pelo telefone com a notícia de que seu filho finalmente acordou do coma, mas lembre-se, nada será como antes.
- Quem é você? E como isso seria possível? Só Deus pode ajudar meu filho.
- Não, Deus não existe mais na sua cidade, agora só existe eu, você escolhe, sim ou não, essa proposta tem prazo de validade curtíssimo?
- SIM!!! Eu quero meu filho de volta... agora!
O telefone toca e seu sonho é interrompido, a enfermeira do hospital diz que seu filho acordou e está melhor do que o esperado para apenas três dias de recuperação, é um milagre.
Jonas então sorriu, preocupado, e correu para o hospital, seu filho o esperou de braços abertos, feliz, mas com uma escuridão em seus olhos que só seu pai podia perceber, mas só Frank estava sentindo, em uma semana o menino teve alta e foi para casa.
O primeiro mês, tanto na vida de Frank quanto na cidade inteira, não houve nenhum problema, não houveram mais mortes, todos estavam bem e, por decisão judicial, foi autorizada a construção de um cemitério público no terreno, o cemitério foi denominado Mansão das Flores.
No dia 06 de Agosto de 2006, dois meses após a inauguração do cemitério, eventos estranhos e anormais começaram a rondar a cidade, emissoras de televisão perdiam frequentemente o contato com suas bases locais, os celulares não operavam mais como antes e a cidade ficava por semanas coberta com nuvens negras, mas havia nenhuma chuva, o frio e o tempo seco tomaram conta da cidade, os animais fugiram das matas da cidade, as áreas verdes foram se tornando cinzentas e as lindas arvores viraram apenas galhos retorcidos diante de algo muito maior que estaria para acontecer.
Acontecimentos estes que ninguém podia notar, era algo estava além da visão dos humanos, as torres de celular não tinha nenhum defeito, o céu continuava azul e o verde era lindo, mas além do véu estava a verdade, escondida e assombrosa.
Frank acordou pela manhã e notou que estava tudo escuro, saiu de casa e viu algo muito estranho, ele conseguiu perceber o que estava além, a sua cidade estava coberta de cinzas.
- PAAAAAAAAI!!!! – Gritou Frank, lá de fora, chamando por Jonas.
- O que foi meu filho?
- O que aconteceu com o céu e as árvores?
- Nada filho, está tudo normal, como sempre foi.
- Não pai, não está, o céu está escuro, as árvores secas, estou com medo.
- Mas meu filho, como assim, você deve ter tido um pesadelo, está tudo bem... – Jonas abraça seu filho, preocupado, ele sabia que aquilo podia ser sua culpa. – Vamos para dentro.
Frank, desconfiado, foi deitar em sua cama e dormiu, dormiu por 24h diretas.
Encontrado corpo de um menino branco que aparenta ter entre 5 e 7 anos, não identificado ainda, pedimos à população que não entrem em pânico e notifiquem a polícia sobre o possível desaparecimento de crianças desta idade.
O assassinato deve ter ocorrido durante a madrugada de acordo com a perícia.”
Primeira notícia dos telejornais da cidade.
Frank acordou e tudo estava normal, lindo e limpo como deveria ser, pensou que era um pesadelo e continuou o seu dia como qualquer criança. Jonas ficou preocupado, mas como ele estava bem, deixou dormir, na mesma semana levou Frank ao médico para avaliações e como esperado, estava tudo bem e não havia razões para se preocupar. Só Jonas sabia o quanto ele devia se preocupar.
Semana seguinte Frank novamente dormiu por 24h seguidas e novamente no dia seguinte a primeira notícia dos telejornais foi;
Encontrado corpo de outro menino branco entre 5 e 7 anos não identificado, o crime ocorreu na madrugada, daremos novas notícias sobre este e outros casos.”
Jonas começou a perceber uma coincidência, mas ninguém mais percebeu e então instalou uma câmera escondida no quarto de Frank e aguardou o próximo surto de sono que aconteceu novamente após uma semana.
Mais uma vez notícias tristes de outro assassinato, mais um corpo encontrado perto do aterro, desta vez uma menina de aproximadamente 3 anos de idade e também não foi identificada, qualquer informação que possa ser útil favor ligar para a polícia no telefone 190, sua ligação pode ser anônima.
Seria um assassino serial solto em Canavial? Pois é, muitos estão dizendo e até a polícia está preparando uma força tarefa como nunca houve nesta cidade.
Os dois primeiros casos ainda não tiveram solução, continuaremos atentos e passando todas as informações para vocês.”
Jonas se preocupou e foi assistir ao vídeo gravado pela câmera, mas não houve nada, apenas um momento que Frank pareceu se assustar com algo, gemeu um pouco e voltou a dormir. Preocupado ele ainda estava, mas só de saber que não era seu filho que cometia os crimes o alívio foi imenso.
Devido a onda de crimes que andaram ocorrendo as forças policiais resolveram solicitar reforços de especialistas para identificar o assassino, mas as ligações não eram ouvidas por nenhuma polícia de cidades vizinhas, para estes apenas ouviam chiados e tentavam retornar, mas a chamada não completava. Um personagem importante desta história ouviu tudo o que foi dito com aparelhos especiais e foi correndo para a pequena cidade de Canavial.

Um homem com um sobretudo marrom surrado, cabelos compridos e sujos de terra, suas unhas curtas e também muito sujas, sua aparência remete a um mendigo e todos da cidade o descriminaram, mas o que ninguém sabia é que justo esse homem poderia ser a única salvação da pequena cidade de Canavial, seu nome é Giovani Jaconar.
Postar um comentário