25 de agosto de 2011

O Cair do Véu (Cap. 10 - O Diário dos Útlimos Dias)


- Primata, o que conseguimos sobre esse caso? – Pergunta Canis.
- Não muito, mas o que temos é muito importante, leia este diário que encontrei.

18/08/2009

                20hrs:
Hoje conheci uma mulher linda, ela se apresentou como Morgana. Estou com grandes esperanças de que ela é a mulher certa para mim, foi muito amigável, conversamos por um bom tempo sobre nossos gostos.
Peguei o número do celular dela e passei o meu, ficamos de marcar um encontro, acho que foi amor à primeira vista.

19/08/2009

                18hrs:
Falamos ao telefone várias vezes durante o dia de hoje, marcamos encontro em um bar na Afonso Pena.

                20hrs:
Eu cheguei ao bar antes do combinado para pegar uma boa mesa e ir adiantando o pedido de uma porção de pasteizinhos de carne que eu já sabia que ela gostava, pedi também um vinho. Quando ela chegou, demorou apenas alguns minutos para que nossa refeição chegasse.

                23hrs:
A noite foi agradável e não consigo parar de pensar naquela linda mulher que dominou meus pensamentos e me guiou para o mais profundo estado de paixão, em apenas dois dias eu estava bobo por ela.

20/08/2009

                10hrs:
Morgana me ligou marcando um almoço na casa dela. Aceitei de imediato, ela mora sozinha e pode ser a hora certa de chegar nela e dizer tudo o que sinto, espero não tropeçar nas palavras e deixar a entender alguma coisa errada.

                12hrs:
Quando cheguei na casa da Morgana, no horário combinado, eu notei que ela demorou muito para abrir a porta, então achei que ela estivesse se arrumando, pois talvez tivesse se atrasado um pouco com a comida. Ela estava exuberante, abriu a porta e uma luz dominou meus olhos, parecia um anjo, com olhos claros e cabelos loiros.
Almoçamos, um beijo aconteceu, então preferi deixar meus sentimentos para depois e curtir o calor do momento.
A única coisa estranha que achei foi que durante o almoço notei algo parecido com uma unha na comida, eu juro que parecia uma unha, mas fiquei quieto por estar diante do amor da minha vida.

                23hrs:
Escrevo só para dizer que nem consigo dormir pensando na Morgana, acho que vou dar uma volta.

21/08/2009

                05hrs50min:
Acordei cedo, estou escrevendo enquanto o ponteiro menor do relógio nem atingiu o número 6. Eu preciso escrever isso, meu médico me recomendou escrever qualquer coisa que eu achasse que fosse imaginação.
Ontem quando fui passear eu resolvi me aproximar da rua onde Morgana mora, fui de moto e sentei em um banco de praça próximo da casa dela, fiquei olhando tudo e fui surpreendido por uma imagem que passou pela janela da sala.
Eu vi nitidamente uma figura meio humana, mas de aparência monstruosa, parecia que tinha até asas, acho que era um demônio.

16hrs:
Ainda nem liguei para a Morgana, estou com medo, sobram resquícios de meu problema do passado, mas ela me ligou e não atendi, amanhã tenho consulta e vou falar disso para o meu psicólogo.

22/08/2009

                13hrs30min:
Hoje foi minha seção de psicanálise, consegui me desligar daquele medo depois de mostrar este diário e descrever o que vi, o psicólogo me disse que minha paixão repentina pode ter feito com que minha cabeça me enganasse, meio que fosse uma defesa para aquela atitude estranha.
Liguei logo em seguida para a Morgana, já mais aliviado, pedi desculpas por tudo e resolvemos combinar um jantar na casa dela.
Desta vez eu vou levar preservativo e uma roupa extra na mochila, além da escova de dente, vai que rola hoje né.

23/08/2009

                10hrs:
Ontem eu fui para jantar, mas acabei ficando para algo mais, não pude nem escrever no diário porque deixei ele em casa, apesar do meu psicólogo me proibir de fazer isso.
Eu pareço cansado, meio exausto, foi muito boa a noite na casa da Morgana, mas eu não poderia estar tão cansado assim, só sei que quero vê-la de novo, e logo.

                13hrs:
Em uma ligação com Morgana, marcamos, de novo, de nos ver. Vou até a casa dela e levarei as mesmas coisas que ontem, espero que a noite seja maravilhosa como foi, mas admito que estou muito cansado.

                                Obs.: Levarei meu diário desta vez.

24/08/2009

09hrs:
Estou na casa da Morgana escrevendo enquanto não entro no banho, assim ela não precisa saber do meu segredo, mas acredite, a noite foi maravilhosa como no outro dia, estou completamente cansado e ao mesmo tempo extasiado, sinto como se minhas energias estivessem se esvaindo aos poucos, tenho me sentido estranho, mas não consigo parar de querê-la.

                11hrs:
Não sei mais o que pensar, agora pouco eu vi um livro no quarto dela, eu achei estranho porque parecia com coisas demoníacas, havia umas escrituras estranhas, tinha uma marcação e em um momento que Morgana não estava eu resolvi abrir o livro, era um livro que falava sobre rituais demoníacos, era um livro sobre seres sobrenaturais e estava marcado exatamente na Succubus, uma espécie de demônio que usa da sensualidade para chamar suas vítimas, se alimenta de suas energias e depois come a sua carne. Aproveitei que ela tinha saído para comprar almoço e estou escrevendo.
A capa do livro tinha gravado o nome da biblioteca da Universidade Federal e o código “12.B.534C”. Estou apavorado e acho que aquele demônio que vi era a Morgana.

                15hrs30min:
Fingi que nada aconteceu, me despedi da Morgana depois de uma ultima transa, eu estava muito afim apesar do medo, no livro dizia que elas sugam a energia da vítima através de beijos e atos sexuais.
Passei direto na biblioteca e pesquisei sobre o livro, havia outros exemplares, pedi um para ler e também descobri que um rapaz havia pego um desses exemplares e nunca mais devolveu, foi registrado o desaparecimento do garoto uma semana depois.
               
19hrs:
Li o livro, vários cápitulos e agora sim eu tive certeza, ela é realmente essa tal de Succubus, descobri que para matá-la é mais eficaz usar armas abençoadas, então comprei duas facas e pedi para um padre abençoar, mas ele riu de mim e me mandou procurar um psicólogo. Fui embora e resolvi enfrentá-la assim mesmo.
Liguei para Morgana e marquei um encontro para amanhã às 21hr30min, estou descrevendo tudo que tenho feito, porque quem ler este diário poderá usar este conhecimento para enfrentá-la, caso eu morra tentando.

25/08/2009

21hrs30min:
A posição da lua determinava a hora exata, o crepúsculo só trazia maus agouros, na penumbra uma silhueta foi avistada, aparentemente feminina e se aproximando com sensualidade, trajando um vestido curto e bem decotado. Era com certeza o que qualquer homem poderia querer, com seios fartos, corpo definido e lábios carnudos, mas eu sabia do que realmente se tratava, mas infelizmente não pude resistir, mais uma vez.

                23hrs15min:
Hoje quem estiver lendo meu diário deve saber que eu não estou mais entre vocês, apenas agradeço por tê-lo encontrado, quem sabe assim muitas vidas podem ser salvas.
Mais um detalhe, onde encontrou este diário, é exatamente onde fui capturado ou assassinado, guardei junto uma pedra estranha que achei na casa deste demônio, pode ser útil, boa sorte, estou muito cansado e não consigo nem pensar direito, vou tentar fugir agora.

- Isso é realmente muito valioso, vamos usar estas informações para caçar nosso inimigo, infelizmente o dono deste diário não escreveu o endereço da casa dela, mas se ele estava tão cansado não deve ter ido longe. – Diz Lacrau.
- Certo, mas sabemos como será quando a encontrarmos.
- E a pedra que ele informou é...?
- Exatamente, é Trilde, uma das pedras planares. Já guardei junto com as outras.
- Obrigado Primata, guarde-as bem, use-as somente em ultimo caso, ainda não sabemos o quão bom ou perigoso elas são, mas a mais importante ainda nem sinal, Rediz, a coruja da adivinhação.
- Não se preocupe Lacrau, encontraremos todas, agora vamos caçar esse demônio – Falo me esquivando do assunto.
Postar um comentário