28 de setembro de 2009

Desabafo (1)!


Esse texto veio de última hora!!!


A inocência é o simples fato de não pensar maldades ou não agir com segundas intenções.
Inocente não é um cara que erra sempre e quem não é inocente, também pode errar.
Quem tem em mente que acreditar em segunda chance e até terceira é incencia, esse sim é inocente, porque todos erramos e um dia alguém teve que te dar uma segunda chance para corrigir um defeito.
Defeitos graves ou não, todos podem ser corrigidos quando se tem a intenção e alguém que apoie essa mudança.
Pré-julgamento é inocência.
Preconceito é inocência.
O ser humano é o animal mais burro que existe, porque acreditam que são os mais inteligentes.
Um homem que se julga o forte, o machão.
Uma mulher que se acha a linda e gostosa e na verdade não é um terço disso tudo.
Um cara que acha que não é inocente e erra.
Outro que diz ser inocente e apronta.
Burro porque erra e mesmo assim não aceita erros.
Fala o que não deve, mas não quer ouvir depois.
Xinga sem pensar.
Vê apenas o que lhe interessa.
Visão ampla e longa é só para as águias mesmo.
Ouvir muito bem as coisas, ficou para os morcegos.
Senir cheiros de tanta distancia, deixem para os cachorros.
Correr muito sem cansar, os cavalos fazem isso.
O que restou para o ser humano?
Fraquezas, erros, consciencia, mente limitada ao que conhece.
A racionalidade do ser humano é mais irracional do que a irracionalidade do cachorro.
E agente ainda se acha os donos do mundo.
Medo todos temos,
errar todos erramos,
falhar todos falhamos...
Mas isso tudo é o que tornará você o cara, ou a mulher, experiente de daqui vinte ou trinta anos.
Um menino de 20 ou 22 anos pode até ter bastante experiencia, mas se ele se manter aprendendo com seus erros, quando tiver 50 será ainda mais experiente e inteligente.
Uma pessoa que acha que sabe tudo e que não precisa aprender nada, ignora os erros dela e briga com os outros quado erram.
Mas não percebe que, às vezes, seus erros tenham sido asas de borboletas que bateram a dez anos atras e hoje se tornou uma tempestade. (Não é exatamente desta forma que fuciona, mas apenas tento exemplificar).
Que talvez tenha sido a causa principal de um erro do próximo!
Falar e aconselhar é diferente de mandar e obrigar.
Quando se da conselhos, não se pede para aceitá-los, apenas deseja isso como amigo ou amiga.
Quando se recebe um conselho, pode segui-lo ou não, você não tem obrigação nenhuma.
Quem erra sabe que errou.
Mas se não tivesse errado, não saberia se fez o certo.
O que é certo e errado?
É certo dirigir bebado?
Mas e se tua mulher grávida ta pra ter o filho e você não tem outra alternativa? Você estará fazendo o certo ou o errado?
É certo furar o sinal o vermelho? Mas e se um cara se aproxima armado e você consegue perceber antes de ser surpreendido. Vai furar o sinal ou ficar ali parado?
É errado acreditar que alguém pode mudar? Mas e quando você mudou, não tinha alguém acreditando em você?
É errado querer se expressar escrevendo? Mas e você, acha certo não dar ouvidos e ignorar a realidade?
Humano deveria usar uma página inteira de um dicionário.
Ninguém consegue explicar as reações.
Ninguém consegue entender plenamente a consciencia.
Quando se pensa em fazer o bem, se esquece de si mesmo, mas quando pensa em você mesmo, está sendo egoísta.
Quando se quer ajudar alguém, você pula em rios, dá a mão pra amigo levantar, ri da uma piada sem graça e quando pega o amigo chorando, não briga com ele, apenas senta ao seu lado e diz que está ali.
Há necessidades que não se resolvem com briga, às vezes nem com conversa, muitas só de ficar quieto com a mão sobre o ombro do amigo já é o suficiente.
Chorando por perder um namorado. Pode ser um moleque, pode não prestar e pode só sacanear.
Mas o que a pessoa precisa é ouvir um "Estou aqui se precisar".
Depressão não se resolve com gritos, sim com carinho.
Medo não se resolve com briga, sim estando ao lado.
Raiva não passa com mais briga, sim com alguém dizendo "Calma, não vale à pena."
Bater não compensa, xingar não resolve, discutir não leva a nada.
Postar um comentário